segunda-feira, 18 de abril de 2011

Parto e Pós-Parto

Nunca aqui falei dele, mas muitas são as noites que penso que vou ter outro filho, tamanhas são as dores.

Foi um parto difícil, muito difícil e doloroso! No dia 20 de Outubro dei entrada na maternidade às 9:00. Começou logo mal quando uma médica me diz que não ia ficar internada. Uma confusão dos diabos. Entretanto chega o meu médico e diz que fico sim senhor, e que queria fazer o toque. Entretanto o N. cá fora em stress para saber se ficava ou não internada, depois do "belo" do toque que doeu comó raio, venho cá fora a chorar a dizer que ia ficar para indução do parto. Começa a preparação de tudo, comprimidos e mais tretas, só na parte da tarde é que começou a fazer efeito. O médico fez-me tantos toques, seguidos da enfermeira parteira e do diabo a quatro, que cheguei ao ponto de me sentir violada, Eu sei que pode parecer parvoíce, mas foi mesmo assim que me senti. Quando ouço o médico a berrar, "agulha", penso Eu, "mas que raio, queres ver que é para mim?", e era! Perguntei para que era, diz Ele que era para rebentar a bolsa, Eu fiquei em pânico, o que é certo é que aquilo não doeu NADA! Mais uns quantos toques, puxões da placenta. CTG a marcar ZERO de contracções e Eu a começar a ficar com dores. As dores começaram a ser mais que muitas, mas a dita máquina dava sempre sem contracções nenhumas, até que me mandam para a sala de partos, com 4 dedos de dilatação e cheia de dores, mas na máquina nada! Eu já estava cansada, farta de chorar, em pânico, porque cada toque era uma dor muito para além da física, era na alma. Entretanto vem uma enfermeira parteira, perguntar se ia levar epidural, e como era possível Eu estar com dores se não tinha contracções, e que agora era só modernices e que ninguém queria sofrer. E Eu cansada de sofrer, e cheia de fome e sede, como Eu estava dei-lhe dois roncos. Vem a Drª para dar a epidural e dá-me a boa noticia, "plaquetas muito abaixo das 100000, e que só me ia dar epidural porque foi um pedido da amiga enfª T. e que se não fosse por isso, não ia correr o risco. Era arriscado demais na minha situação", talvez por ser tão fraca, só tenha pegado nas pernas, e tenha sentido tudo! Entretanto reparo que a merda do papel estava sempre no mesmo sítio, a máquina tinha o papel encravado, e afinal as contracções eram bastantes, mas a dilatação nem vê-la! As horas passavam e as dores eram muitas, e tudo era estranho. A dilatação não queria aparecer, de 4 passei para 6 dedos e fiquei por aqui. Entretanto vem uma enfermeira fazer mais uma vez o toque, quando repara no que Eu estava a reparar, o batimento cardiaco do Salvador estava a desaparecer. Vem um batalhão de médicos e enfermeiras, e só ouço, tem que ser agora, preparem tudo que Ele tem que nascer. Eu fiquei em pânico, o N. entretanto começa a sentir-se mal e sai e vem a Enfª T para a minha beira. Eu só ouvia "faça força que Ele tem que nascer!!!" "Tem que fazer força". Eu sem força nenhuma, cheia de sede e fome e exausta de tanto sofrer, de tantas dores. "Vamos cortar", dá-me uma anestesia local que me ardeu tanto... "Passem os fórceps" A enfermeira parteira a dizer que estava a ser uma má Mãe porque não estava a ajudar o meu filho. Ela pôs-se em cima de mim com os braços, fez tanta força ao ponto de ficar com a barriga toda pisada e dorida (talvez tenha ajudado a que ficasse sem barriga no dia seguinte). O ar da sala de partos era pesada, com ar de preocupação (Salvador com duas circulares) , Eu só perguntava como estava o Salvador, e com ar preocupada dizia-me que estava tudo bem, para ter calma que faltava pouco. O Salvador nasceu um menino deprimido diziam Eles. Quando o foram pôr em cima de mim, não o quis, e ainda disse, levem, levem que Eu não quero. Ainda hoje carrego essa mágoa. E choro só de pensar. Entretanto foram os procedimentos normais, até que chego ao quarto e o N. me entrega o Salvador. Tudo tinha corrido ao contrário do que tinha imaginado. Eu pensava que ia chorar imenso quando O olhasse pela primeira vez. Mas a dor tinha sido tanta, o cansaço... que não foi assim. 

Depois fiquei maravilhada a contemplar o Salvador, e o quão perfeitinho Ele era. Chorei no dia em que sai da maternidade e pensei, agora sou Eu e Ele.

E se achava que o pior tinha passado, ainda nem sabia o que me esperava!


Um pós-parto difícil, os pontos rebentaram. Não me conseguia sentar, deitar, por de pé, andar, todos os movimentos eram um martírio. E ao fim de 6 semanas é que começou a cicatrizar o corte da episiotomia. 4 meses e meio depois é que deixei de sangrar pela primeira vez, sempre com imensas dores, e foi 2, 3 dias e voltei ao mesmo, consulta com a ginecologista, ecos e mais ecos, infecção no útero, toca a queimar aquela porcaria toda, e mais medicamentos. Mudei de pílula e melhorou até que voltei ao mesmo sem mais nem menos, bastou o Salvador estar em cima da minha barriga para sentir qualquer coisa a "rebentar" ou o caraças e sentir o sangue a sair. Enfim, isto tem sido um drama minha gente. Fui à urgência e o medico disse que ia tomar um antibiótico. Que me deixa mal disposta até dizer já chega. E depois lembrei-me que o ano passado o médico me disse que devia fazer uma ressonância e que a mesma ficou esquecida porque engravidei. Lá estarei no dia 19 para a dita ressonância magnética! 

A barriga está tão inchada, e as dores são tão dolorosas, que já nem sei para que lado me hei-de virar...

5 comentários:

Tânia (Mamã do Santiago) disse...

bem que dose....

espero que dps do que ja passas-te tudo isso se resolva e claro pelo melhor

lanapt disse...

Minha querida , depois de ler sobre o teu parto , fiquei envergonhada , só de pensar que também sofri no meu .... custou , mas não foi nada em comparação com o teu .... os médicos e as enfermeiras dizem , vai passar e depois vai tudo ao sitio .... passa .. mas leva tempo ... e tu és forte e uma grande mulher , por isso tem força que as coisas se vão compor ... beijinhos muito muito brilhantes ...

meninaluaprimavera disse...

credo!
o meu parto foi óptimo já a recuperação foi um martírio!nem me quero lembrar. acho que é por estas coisas que não quero mais filhos.

Mami ( Sónia ) disse...

Minha querida tu passaste por um inferno.
Eu tive sorte e correu tudo bem,mas ninguém devia passar pelo que tu passaste.
Agora força que vai tudo ficar bem.
Beijo grande e coragem

MissBlueEyes disse...

Não foi fácil não senhor. Mas só espero que amanhã na ressonância se descubra o porquê destas dores. É que são horríveis, e se o Salvador chorar ainda se agrava mais!

Bem, já passou, e tb não penso em dar irmãos ao Salvador pelo menos enquanto a memória não me atraiçoar! :)